segunda-feira, dezembro 03, 2007

SER ONÍRICO



Este enigma
que em mim habita
de asas feitas de ânsia e sonho

imagens velozes
e vertigens de oiro e sede

feito de palavras recolhidas nas estrelas
ou no silêncio de bruma

é a mais límpida claridade
de mim.

É a vibração alucinada da brisa
que traz o teu nome
em cada vigília submersa no Tempo.

Se eras a porta entreaberta do paraíso

perdi-te

na fronteira do que existe para além da realidade

de cada dor metafísica.



1 Comentários:

Blogger hora tardia disse...

mas eu não. não te perdi.



beijo meu Amigo.
Para sempre.


imf. (piano)

10:51 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


Subscribe Free
Add to my Page