domingo, janeiro 06, 2008

AZUL DE MIM



Balancear do meu corpo,
como se dançasse na lonjura da manhã.

Corpo oscilante condenado a existir
e bebendo a música do silêncio.

Êxtase sobre o Eterno, fazendo parte do Tempo.

Frágil instante.

Entre a bruma
e o azul da mim.

2 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

boa...(bué de fixe...)

andou a mexer...:)


ficou UINNNNNNNNNNDO.


ágil assim. este instante...


beijjjjjjjjjjjjjjjjjjjOOOOO.

9:26 da tarde  
Blogger João Sena disse...

Notável!!!
João Sena

2:36 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


Subscribe Free
Add to my Page