quarta-feira, janeiro 09, 2008

O MÚRMÚRIO DAS AURORAS



Chegar ao fundo.

Ao fim.

Ao âmago.

Ao signo.


À síntese.
À medula.

À fibra mais secreta.

Chegar ao limite e tocar no horizonte

o ténue tanger de água cristalina

detendo-me
na transparência do instante.


E o azul múltiplo da claridade
a precipitar-se ALÉM

em forma de MÚSICA e ARCO-ÍRIS
até
onde existem os murmúrios das auroras.


1 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

cheguei!




(afinal....está tudo na mesma? ai ai ai...) :)


bom ,não exactamente.

palavras novas. transparências.

azuis?

mais de águA. límpida. as tuas.

beijo_______________________TE.

6:13 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


Subscribe Free
Add to my Page