quinta-feira, janeiro 31, 2008

DIVINDADE SUBMERSA



Com teu halo de deusa etérea e gravitando no estilhaço das palavras que misturas até à transparência, habitas todos os universos que invento dentro de mim.

E voo com as minhas asas brancas na esperança de te sentir chegar diáfana e divina.


Como se mergulhasses na essência do meu finito ser, submerges na insuportável dor do meu silêncio inerte, onde me extingo nas fontes inaudíveis das magnólias de luz.

2 Comentários:

Blogger João Sena disse...

Uma notável surpresa este seu Blog!
Um abraço e milhões de parabéns.
João Sena

2:35 da tarde  
Blogger ☆Fanny☆ disse...

Há palavras inventadas que tomam a forma das quimeras azuis e nos acalentam a alma com um sabor delicioso de eternidade.

Bom é voar nas asas que nos levam ao infinito do sonho para aí beber o néctar da poesia que é a vida.

Um abraço de estrelinhas*

Fanny

2:24 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


Subscribe Free
Add to my Page