quinta-feira, maio 01, 2008


LIBERDADE



Há uma palavra

cem mil vezes proibida

e outras tantas murmurada

que grita inteira no meu peito.


Há uma palavra

cem mil vezes proibida

que foi já partida e terra de chegada

e desfolho em meus dedos com certo jeito.


Palavra

cem mil vezes perdida

cem mil vezes achada.

Cem mil vezes repetida

e outras tantas desejada.


Por ela Abril floriu

naquela longa madrugada.


E se entre medos

ódios e opressões

eu não mais puder resistir


hei-de gritar a palavra Liberdade

quanto meu pensamento

ou raiva o permitir.




António Afonso

1 Comentários:

Blogger isabel mendes ferreira disse...

a tua palavra é um maio!!!!!



.


livre!


.


beijo-te.

8:53 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial


Subscribe Free
Add to my Page